Atención

Búsqueda avanzada
Buscar en:   Desde:
 
Os criadores de expostos nas hierarquias sociais do Antigo Regime: Freguesia Madre de Deus de Porto Alegre (1772 - 1822)
Silva, Jonathan Fachini da.
Revista Latino-Americana de História, vol. 3, núm. 11, 2014, pp. 22-37.
Dirección estable:
Resumen
A exposição de crianças foi uma prática amplamente difundida e aceita na colônia luso brasileira. Essa prática foi recorrente também, entre a população da freguesia Madre de Deus de Porto alegre, desde sua fundação no ano de 1772. Durante o período proposto para esta análise (até 1822), não havia em Porto Alegre a Roda dos expostos. Neste caso, a forma predominante de exposição é o que a historiografia denomina de abandono domiciliar. Frente a esse quadro, a Câmara ficou responsável por custear e administrar a criação dessas crianças como exigia as Ordenações do Reino. Essa singularidade cabe a Porto Alegre, pois, foram poucas as câmaras ultramarinas que assumiram esse pesado encargo. Nesse contexto, o presente artigo pretende explorar como diversos grupos sociais usufruíram desses recursos disponibilizados pela Câmara em troca de prestígio, expandir alianças ou como uma forma de renda financeira para o sustento da família. Para esse objetivo, reservei dois exemplos de “domicílios referência” receptores de expostos para servirem como objeto de nossa reflexão. O aporte teórico-metodológico consiste no cruzamento nominativo de fontes, os registros paroquias (batismo, casamento e óbito) e os termos de vereança.
Texto completo
Dirección externa:
Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons.
Para ver una copia de esta licencia, visite https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.es.